26 maio 2008

A TRIBO DOS RONCADORES

© Dr. Alessandro Loiola


Volte seu relógio alguns milhares de anos até a pré-história. Até aquela época em que habitávamos um mundo selvagem, bestializado e extremamente violento. Eu sei, não é preciso voltar no tempo para viver em um lugar assim. Basta ir até a esquina. Mas seja paciente.

Pegue seu tacape. Você está de guarda numa daquelas noites frias e chuvosas, com uivos ao fundo. O resto da tribo dorme na caverna enquanto corre a madrugada. Você pisca. A roda ainda não foi inventada, mas o plantão noturno sim. Chuva, frio, aquele pernil de preguiça gigante feito na brasa ameaçando avançar para o duodeno, e você ali. O protótipo neandertal do vigia sonâmbulo.

Fatalmente, você cai no sono. Aproveitando a deixa, os uivos se esgueiram pela sombra, aproximando-se da caverna. São lobos. E estão famintos. Mas antes que o treinador arme o ataque 4x4x2 lançando um coiote por sobre a barreira, um som gutural assustador, como o urro de bestas terríveis e possessas, irrompe pela caverna. E logo outro. E ao ressoar o terceiro, a matilha se dispersa, rabos entre as pernas, desaparecendo apressada na floresta.

Sem que soubessem, você e sua tribo foram salvos por uma adaptação maravilhosa da natureza: o ronco.

Não somos os animais mais rápidos ou os mais fortes ou aqueles com a mordida mais devastadora. Apesar de predadores, somos mamíferos terrestres relativamente frágeis. Então como poderíamos nos manter protegidos durante o descanso? Fácil: o som de dezenas de homens da caverna roncando juntos seria suficiente para manter qualquer ameaça a uma distância segura.

Levando o raciocínio adiante, seria possível deduzir que tribos de não-roncadores permaneceriam mais expostas durante as horas de sono, complicando suas chances de perpetuação, resultando em uma conclusão bastante simples: seguindo a linha nua e crua da seleção natural, somos todos descendentes de roncadores instintivos. Pois apenas os roncadores sobreviviam às noites de sono.

O ronco é o ruído que a respiração produz ao passar pelas vias aéreas parcialmente obstruídas durante o sono. Estima-se que mais de 1/3 dos adultos ronquem pelo menos algumas noites por semana. De cada 10 roncadores crônicos, 9 são homens – a maioria com 40 anos de idade ou mais.

Apesar da teoria da tribo dos roncadores explicar porque seu marido imita um urso com cólica intestinal durante o sono, os especialistas defendem que o ronco está intimamente relacionado a distúrbios tais como obesidade, aumento das amídalas e das adenóides, e deformidades no nariz. Fumar, consumir bebidas alcoólicas em excesso, fazer alimentações pesadas antes de ir para cama, dormir de barriga para cima e sofrer de alergias nasais facilitam a ocorrência de roncos.

Você talvez não ligue para o seu ronco, mas tenha certeza que qualquer pessoa que esteja por perto tem uma opinião um pouco diferente. Em todos os casos, procurar seu médico de confiança é uma boa recomendação. O ronco pode sinalizar a presença ou o início de outros problemas mais sérios, como apnéia do sono, obstrução nasal e separações litigiosas. Além disso, o ronco pode resultar em sonolência excessiva durante o dia e aumentar o risco para hipertensão arterial, insuficiência cardíaca e derrame.

Para resolver a situação, o primeiro passo é cortar os fatores de risco. Elimine o excesso de peso; evite refeições pesadas, bebidas alcoólicas ou cafeína no horário de dormir (o ideal é manter o jejum nas duas horas anteriores ao seu horário habitual de ir para a cama); mude a posição em que você dorme (p.ex.: levante um pouco a cabeceira da cama, coloque um travesseiro para ficar de lado, etc), e mantenha o quarto limpo e arejado para evitar rinite e congestão nasal.

Outros recursos para controlar o ronco incluem o uso de próteses orais que evitam a queda da língua, e máscaras especiais que mantém uma pressão contínua sobre as vias aéreas, evitando a obstrução (este tratamento com máscaras de pressão, conhecido como CPAP, é eficaz e razoavelmente desconfortável).

Casos mais graves podem necessitar tratamento cirúrgico. O procedimento mais comumente realizado é uma espécie de cirurgia plástica da garganta que aumenta o diâmetro das vias aéreas e reduz a vibração. Vale lembrar que a intervenção cirúrgica não está indicada nos casos de ronco ocasional ou leve.

No final das contas, se o seu ronco estiver incomodando as pessoas da sua vizinhança e nenhuma das medidas descritas anteriormente resolver o problema, eu recomendo que você junte suas trouxas e mude para uma caverna. De preferência, longe da minha.

---
Dr. Alessandro Loiola é médico, palestrante e escritor, autor de PARA ALÉM DA JUVENTUDE – GUIA PARA UMA MATURIDADE SAUDÁVEL (Ed. Leitura, 496 pág.) e VIDA E SAÚDE DA CRIANÇA (Ed. Natureza, 430 pág.). Atualmente reside e clinica em Belo Horizonte, Minas Gerais.

6 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom Dr. vou seguir seus conselhos. Gostaria de saber qual a especialidade médica que cuida desse problema. Já o tenho a algum tempo.

Atte. Ines

Dr. Alessandro Loiola disse...

Ines,

Procure um Otorrinolaringologista de sua confiança. Este seria o primeiro passo recomendável.
Um abç,

A.

Vanessa Trotta disse...

Olá Dr. Alessandro!
Vi seu blog no Uai e encontrei este aqui também.
É ótima a iniciativa de um médico manter um blog!

Fui ao otorrino semana passada e ele falou que tenho desvio de septo e minha obstrução nasal está avançada por causa também da rinite crônica. Como já respiro, grande parte do tempo, pela boca, ele comentou que vou começar a roncar. Vale mesmo o risco de operar?
Morro de medo de cirurgia, de hospital, de sangue, etc. rsrsrsrs

Obrigada pela atenção!

Dr. Alessandro Loiola disse...

Vanessa, caso vc esteja com receio da cirurgia, converse abertamente sobre isso com seu médico. Se não achar o esclarecimento dele suficiente, procure uma segunda opinião com um especialista de sua confiança. Procurar e conversar com pessoas q já foram operadas por problemas semelhantes tbém irá lhe ajudar a pesar os prós e os contras. Um abç,

A.

Aline Silva Dexheimer disse...

AHAHAH...
Daqui a pouco que vai fugir para uma caverna sou eu também...
Vou mandar este link para meu marido...risos..
Abraço meu amigo,
Aline

Mariah disse...

Vivo pesquisando na internet onde fazer a cirurgia para o ronco, meu marido me chama de trator.Fico triste pq me casei faz 1 ano, demorei tanto p encontrar a pessoa certa e nem posso dormir comn ele....Por favor e que mais quero e fazer cirurgia. Acordo com dor de cabeça, olhos secos, sufocada, secressao na garganta,dor no peito tudo por causa do ronco.Sou magrinha, pratico esporte , nao fumo nao bebo, sou vegana. Tem cirurgia em Belo Horizonte? Agurdo resp.
urgente Doutor!
Mariah mariahk.p46@gmail.com

Obrigada