15 janeiro 2008

A MARAVILHOSA MÁQUINA HUMANA

© Dr. Alessandro Loiola


Recebo tantos e-mails com alertas de pseudociência que estou pensando em ir até a escola dos meus filhos e reclamar. Nos livros deles, vejo escrito por toda parte que o “ser humano é a espécie mais inteligente do planeta”. Deve ter alguma coisa errada nesse raciocínio.

Exemplo: recebi um alerta de uma profissional de saúde sobre uma droga diabólica. Administrada na forma de trote, ela seria capaz de causar infertilidade permanente em jovens donzelas incautas... Tentei esclarecer a digníssima emissária sobre o boato esdrúxulo disfarçado de notícia, mas fui impedido pela surdez e a cegueira de sempre. Terminei recebendo uma resposta mal criada. É possível que em breve ela envie outra versão dos seqüestradores de órgãos no shopping, e terei que ouvir alguém comentando no celular: “Filho, cuidado, hein? Deu na Internet que eles estão roubando córneas no banheiro e rins no estacionamento!”.

Triste, muito triste. A ciência de verdade é tão mais interessante que a fantasia, mas ainda assim menosprezada nas manchetes. Acompanhe-me em um rápido passeio. Vamos para a rua, em uma noite qualquer. Olhe para cima. Fora a placa de Dona Judith jogadora de búzios pregada no poste, o que você vê? A Criação. É espantoso, não é? E absolutamente real.

Continue olhando para cima e conseguirá identificar Júpiter, o maior planeta do nosso pequeno sistema solar e um dos corpos celestes mais brilhantes do céu noturno. Ao seu lado, Antares, uma estrela imensa. Que parece nada próxima de Cephei, um dos mais gigantescos astros conhecidos.

Cephei, localizada a 3.000 anos luz da Terra, é 288 mil vezes maior que o nosso planeta. Divagando dentro da lei da proporcionalidade, um ser humano vivendo em um planeta orbitando Cephei teria mais de 500 Km de altura, e o monte Everest caberia na palma da sua mão.

Agora tire os olhos do céu antes que fique com torcicolo ou seja vítima de um assalto. Entre em casa. Sente-se e vamos explorar um outro megauniverso espantoso um pouco mais próximo: seu próprio corpo.

Ao nascer, todo seu sangue caberia em uma xícara de café. Na fase adulta, ele ultrapassa os 5 litros de volume, circulando pelo corpo inteiro mais de 1.000 vezes a cada dia. Esta movimentação toda é patrocinada por um músculo incansável: o coração. Uma única batida produz pressão suficiente para bombear o sangue a mais de 10 metros de distância. Por volta dos 40 anos de idade, seu amigo do peito já terá feito isso mais de 1 bilhão de vezes.

Apesar do esforço, o coração não é seu músculo mais forte. De todos os cerca de 600 músculos que habitam o corpo, o título de Mister Olympia pertence à língua. Que está na boca, onde são produzidos mais de meio litro de saliva diariamente – sem que você seja incomodado com isso.

A boca também inicia o processo de deglutição, que se repete quase 300 vezes durante o almoço, fazendo com que a comida chegue ao estômago em apenas 7 segundos. Ao final do trajeto digestivo, uma nota de extrema relevância: um flato é capaz de se deslocar a mais de 5 metros de distância. Considere isso na próxima vez que for entrar no elevador.

As vias respiratórias, auxiliadas por um músculo da espessura do seu dedo indicador, jogam ar nos seus pulmões mais de 20 mil vezes por dia. Se alguma impureza for aspirada, você poderá eliminá-la com um espirro ou uma tosse, que freqüentemente ultrapassam os 100 Km/h de velocidade.

O esforço de um espirro contido pode ser suficiente para provocar o rompimento de um vaso sangüíneo no cérebro ou fraturar uma costela. Felizmente, poucas pessoas têm mania de engolir espirros. Além disso, todos ossos de uma pessoa jovem e saudável são renovados a cada 3 meses, deixando-os com uma resistência até 4 vezes maior que o concreto.

Esta incrível orquestra de tecidos é mantida em harmonia por uma massa esponjosa de 1,5 Kg de peso e 78% de água contendo mais de 100 bilhões de células especializadas: o cérebro. As células cerebrais nunca descansam. Elas cuidam desde as 25 piscadelas de olhos que você dá a cada minuto até os mais de 1.500 sonhos que temos por ano. Tudo isso enquanto troca informações com o corpo através de uma rede nervosa com mais de 90 Km de comprimento.

Como uma máquina tão complexa e magnífica pode perder tempo chafurdando no lixo da pseudociência, dando atenção para falsos conhecimentos e nutrindo um sem-número de medos irracionais ? A despeito desta absoluta falta de admiração com a realidade que nos cerca, continuamos nos intitulando presunçosamente de “a espécie mais inteligente”. Não vejo a hora dos cupins questionarem isso em um fórum da ONU. Talvez eu receba um e-mail.


---
Dr. Alessandro Loiola é médico, palestrante e escritor, autor de PARA ALÉM DA JUVENTUDE – GUIA PARA UMA MATURIDADE SAUDÁVEL (Ed. Leitura, 496 pág.) e VIDA E SAÚDE DA CRIANÇA (Ed. Natureza, 430 pág.). Atualmente reside e clinica em Belo Horizonte, Minas Gerais.

3 comentários:

crisesteves disse...

Desabafo de um cupim sapiens " O ser humano é a espécie mais desnecessária sobre a Terra ... Tudo estaria em perfeita harmonia sem a presença humana.É a espécie mais devastadora...
Jovens cupins, não tenham medo dos tamanduás.
A espécie humana é venenosa: jogam a culpa sobre as baratas , ratos, pombas cupins, virus , bactérias, vermes...
Somos considerados pragas .
Cuidado com os humanos : eles acreditam serem imagem e semelhança do Criador.
Defendam-se , amados , cupins..."

Lucia disse...

A grandiosidade desse texto
é de um primor singular!
è possível veriricar :
Informação correta +
Inteligência aplicada +
Espirituosidade ímpar =
receita eficiente para curar os
" Zumbis virtuais "...
que perambulam pela rede...
Pena que em nosso país,
infelizmente,mostrar excelência no que se faz, não atrai a mídia
das " grandes massas " pelo simples fato de não aumentar os números do :
" Ibope ".
Entretanto , esse quadro hediondo,
começa a mudar ! e enxergar profissionais de saúde, com a coragem de ser " diferente " e
" autêntico " , nos traz a certeza, que " dias melhores" não " estão por vir ".

Já chegaram !

Parabéns pela excelência Dr. Alexandre Loiola, continue assim !

Lucia Wenceslau

Lucia disse...

P.S :
Caro Dr. ALESSANDRO Loiola
( esse é o correto)
escrevo agora apenas para pedir
desculpas em ter escrito errado
o seu nome...que gafe!..)

O entusiasmo e alegria,
que me impulsionaram a escrever o comentário anterior,
ao mesmo tempo, me ajudaram a esquecer de por as lentes de contato.
Sou míope.

Desculpe ,
E Obrigada !

Lucia