05 junho 2017

A CIÊNCIA E O CETICISMO DRENAM O SIGNIFICADO DA VIDA?

Não, não drenam.

Se a Realidade palpável é tudo o que exis­te, nos­sa vida, nos­sa fa­mí­lia e nos­sos ami­gos – e a ma­nei­ra como tra­ta­mos uns aos ou­tros – se tor­nam mais sig­ni­fi­ca­­tivos e únicos. Sob luz da Ciência e do Ceticismo, cada dia, cada mo­men­to, cada re­la­ci­o­na­men­to e cada pes­soa im­por­tam enormemente.

Fora dos delírios e alucinações da crença religiosa (qualquer que seja ela), a Realidade deixa de ser uma peça de te­a­tro en­ce­na­da tem­po­ra­ri­a­men­te an­tes de um eter­no ama­nhã (quan­do o "pro­pó­si­to mai­or" nos será re­ve­la­do), e se torna uma es­sên­ci­a va­li­o­sa, repleta de aquis e ago­ras onde cri­a­mos nossos desígnios pro­vi­só­rios.

A conexão com a Re­a­li­da­de nos le­va a um pla­no mais alto, mais honesto, corajoso e genuíno, de onde podemos contemplar a existência com um grau extraordinário de lucidez, encantados de uma vez por todas com o fantástico de tudo.

A religião e a fé serão sempre e apenas um conforto, uma almofada, uma indulgência ou uma fuga do fardo de suas escolhas. Eu não me queixo do fardo: minha opção é pelo progresso e pelo aprendizado, sem alívios. E a sua?

Nenhum comentário: